Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 13 de Outubro, 2004

Um estudo hoje divulgado pela Marktest indica que cerca de metade dos internautas portugueses j visitaram pginas de rdios nacionais e estrangeiras.
Por si s, isto no seria indicador suficiente de que a rdio – tambm ela – necessita de se adaptar a um novo relacionamento dos indivduos com os meios de comunicao e a um novo enquadramento que permite a fragmentao das audincias e a desarticulao do factor tempo.
Mais significativo parece-me, porm, ser a indicao de que no topo dos domnios acedidos figuram o iol.pt e o sapo.pt, surgindo depois o tsf.pt (rfm quarto, rr quinto e rdp sexto). As pessoas continuam a ouvir rdio mas, em cada vez maior nmero, parecem estar a ouvir as rdios uns dos outros ou canais micro-temticos disponibilizados apenas via web.
A rdio mudou com o transistor e mudou com o aparecimento da televiso. Precisa, naturalmente, de entender a net como um novo desafio e de encontrar um caminho de sobrevivncia como meio apelativo para / respeitado por grandes audincias.
Noutras paragens h j sinais muito claros do futuro – que inclui, por exemplo, o descarregar dos meus programas favoritos para um leitor porttil de mp3 – como explica Mark Glaser num texto tambm hoje publicado no OJR.

Anúncios

Read Full Post »