Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 14 de Novembro, 2004

Chamo a ateno para a entrevista que Manuel Pinto, principal animador do Jornalismo e Comunicao e actual provedor do leitor do Jornal de Notcias, d ao Notcias Lusfonas.
Alguns excertos:

Sobre os ‘produtores de contedos’ – “Reduzir o jornalismo a contedos indiferenciados, em que se coloca ao mesmo nvel uma notcia de interesse pblico e uma publicidade redigida, por exemplo, estourar com o jornalismo e reduzir o profissional a um tcnico de informao, a um amanuense“.

Sobre a concentrao – “Penso que existe, cada vez mais, nesta profisso, um fosso entre uma elite que sobrevive e encontra em qualquer caso o seu lugar ao sol e a maioria dos profissionais, em situao periclitante, exercendo com base num estatuto e horizonte temporal incertos, ganhando mal e estando sujeita a inmeras contingncias e dependncias. As consequncias deste processo de precarizao podem ser, a prazo, catastrficas para o jornalismo: redaces sem memria e sem identidade, impossibilidade de especializao em determinadas reas da via pblica, reduzido espao para a investigao jornalstica e, mais latamente, a tendncia para um jornalismo andino, inofensivo, domesticado. Ou seja, tudo menos jornalismo“.

Sobre o ensino do jornalismo – “ virtualmente impossvel replicar uma redaco na universidade, com os seus constrangimentos e potencialidades, com as suas hierarquias e recursos, com os seus deadlines, etc. Pode-se fazer laboratrios, mas a verdadeira aprendizagem do saber fazer ocorre nos contextos reais de trabalho. A mais-valia de uma consistente formao de nvel superior advm do desenvolvimento das capacidades de compreender, de se adaptar a novos contextos e ferramentas, de desenvolver o sentido da notcia “.

Anúncios

Read Full Post »