Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 18 de Março, 2006

Feita a ‘entrada de sangue novo’ e a ‘remodelao’ necessria, o Expresso aparece-nos como um semanrio…demasiado igual ao que quis deixar para trs, sobretudo nos erros graves.

A manchete de hoje apresenta-nos (j para no falar na questo em termos editoriais…) um momento que importa assinalar para referncia futura como absolutamente original. A dado passo, apresentam-se dados de uma sondagem que o jornal diz ter feito, sem que em lugar algum da edio (caderno principal, caderno de economia ou revista nica) se publique, na ntegra, o texto das perguntas efectivamente feitas e os resultados das respostas.

Alm disso – e aqui residir parte substancial da originalidade de que falo – o Expresso descarta ainda um elemento essencial em qualquer trabalho srio do gnero com a seguinte frase (a bold, no v a gente esquecer-se!): “ver ficha tcnica na edio anterior“.
Exactamente assim. Os dados que apresentamos so importantes hoje – to importantes que fazem manchete da edio – mas no temos espao nem para os publicar nem para a ficha tcnica. Os leitores que quiserem, podem ir rebuscar os ‘papeles’ l do bairro. Os outros…ora essa…os outros que…
mau demais para ser confundido com jornalismo.
Conselho Deontolgico? ERC? Anyone?

Anúncios

Read Full Post »

Nasceu o JPR

Acompanhei o projecto em alguns dos seus passos e sou testemunha do enorme empenho dos seus responsveis e colaboradores.
Sabia at em que dia estava prevista a sua ‘apresentao oficial’ e, como combinado, cheguei a receber a ‘senha’ (s 2h40 de sexta-feira):

Nasceu s 02h40.
Um abrao.
PL

Ainda assim, no fiz o que devia a tempo. Pelo atraso me penitencio.
O JornalismoPortoRdio est online e apresenta-se com uma imagem muito elegante e com uma estrutura que reflecte muitas horas de trabalho.
Parabns ao Pedro, ao Rios, ao Candeias, ao Tiago e a todos os outros que tornaram possvel um projecto muito interessante de contacto do universo acadmico com o que pode muito bem ser o futuro da rdio.

Read Full Post »

Como tero provado os leitores mais atentos do blog esta foi uma semana de algum abandono.
Em parte, a explicao reside no facto de o Instituto de Cincias Sociais da Universidade do Minho (onde trabalho) estar em perodo de mudana de instalaes.
A casa nova – para no fugirmos a um dos esteretipos mais lusitanos – ‘est pronta’ antes de estar pronta e isso tem evidentes implicaes no trabalho e nos humores de quem participa na aventura.
Para o melhor e/ou para o pior j no novo espao (desvalorizando, naturalmente, lama, entulho de obra e p…muito p) que me ‘apresento ao servio’ na segunda-feira (…espero ao menos ter rede!).

Read Full Post »

Jornadas

Na semana que agora termina participei em duas jornadas promovidas por alunos universitrios sobre questes relacionadas com os media.
Na tera-feira, em Portalegre, tive muito gosto em conversar com o Rogrio Santos e com o Paulo Querido sobre blogs, no mbito das X Jornadas de Comunicao. Foi uma tarde bem passada, num auditrio acolhedor e com um grupo de alunos simptico e genuinamente interessado. Talvez tenhamos todos ganho mais alguns bloggers – isso deixa-me satisfeito.
Na quinta, j em Braga, participei no painel sobre o poder da Comunicao Social (com Helena Matos, Jos Manuel Mendes e Pedro Cruz), a encerrar as X Jornadas de Direito da UMinho. Aqui, a discusso andou mais em torno dos novos enquadramentos legais, das presses a que os jornalistas esto sujeitos, da forma como o Ministrio Pblico parece encarar a profisso e o seu papel na sociedade.
Em ambos os momentos constatei que uma dose significativa de inquietao nos afecta a todos, de maior ou menor forma. E isso – sendo historicamente o maior motivador do engenho humano – no deixa de ser relevante para ler as aces/no aces de que vamos tendo ecos nos dias que correm.

Read Full Post »